Então, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito” (Romanos 8:1, RC) 
.A maior alegria que se pode ter neste mundo é ficar livre do poder do pecado. De fato, não existe qualquer paz duradoura, nem satisfação completa, enquanto nossa vida carnal está ligada ao pecado e à culpa. A natureza do pecado é destruidora da paz, consumidora do corpo e perturbadora da mente. Em qualquer instância, a natureza e ação do pecado significam a morte agindo em nosso corpo mortal. O pecado não deixa vida alguma sem mancha e nenhum cativo sem a sua marca. Seu companheiro é o inferno e sua assistente é a miséria. A maior necessidade de um crente é ter nojo do pecado, tanto nojo, ao ponto dele clamar a Deus por purificação e limpeza [a qual ele só pode conseguir, confessando os seus pecados (1 João 1:9) e crendo na promessa da 1 João 1:7].

Vocês acham que estou exagerando sobre as trevas e o horror do pecado?  Então, leiam o que diz o Apóstolo Paulo, o grande mestre do Novo Testamento:

      “Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz. Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser. Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele”. (Romanos 8:6-9).
          Vocês nem sequer podem imaginar o pecado sem a morte, que ele representa, agindo em seus corpos sem esperança. O pecado destrói completamente cada pessoa na qual ele reina como rei, recusando ser menos do que rei. Ele vai governar, a não ser que o Sangue do Divino Filho de Deus o destrua.

"A força da sua oração não é maior do que a obediência devida à Palavra de Deus: aprenda a permanecer na Palavra para ser verdadeiramente livre."



Deixe um comentário