Ao escrever sobe o cultivo da santidade, o apóstolo Paulo inclui um alerta: "Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?" (II Coríntios 6.14).

Uma coisa é viver no mundo cheio de injustiça como o nosso. Estamos aqui pela vontade do Senhor e Ele mesmo diz aos cristãos: "no mundo tereis tribulações". Mesmo enfrentando tribulações, o Senhor quer que sejamos "a luz do mundo". Já outra coisa, que não tem base bíblica, é chegarmos à conclusão de que, por estarmos neste mundo, o único jeito de sobreviver é assinar embaixo de todas as coisas desonestas que o mundo nos oferece. Paulo diz que não tem nada a ver.

É impossível estar no mundo e não conviver com o mundo. Da mesma maneira que Deus, ao mandar chuva, permite que ela umedeça a plantação dos justos e a plantação dos infiéis. Mesmo abençoando a plantação dos injustos, o Senhor não aprova sua infidelidade e não conta com eles para o estabelecimento do Seu Reino na terra. Nós, os cristãos, fomos salvos com o objetivo de servir no Seu Reino. Com o objetivo de proclamar o poder redentor do Cristo, no meio corrupto do pecado. Todas as vezes que levamos a sério nossa missão e não dizemos amém às imposições do mundo, somos discriminados. Mais cedo ou mais tarde, se procuramos viver cristãmente, o próprio mundo se separará de nós. O jugo é desigual.



                         Fonte:  Pr. Olavo Feijó


Deixe um comentário