Olá meuuus amores, estou aqui mais uma vez para compartilhar o 1º capítulo do livro "Loucuras do coração", para quem leu a sinopse do livro na semana passada já sabe como vai funcionar nosso Projeto de Edificação para Casais, se não leu é só clicar AQUI. Então, o livro é composto de 5 Seções e dentro de cada seção tem vários capítulos, totalizando 50. 

1° Seção: Cupidice Emocional
  Cupidice emocional nada mais é do que a forma como você lhe dar com os seus sentimentos. Por definição, sentimento é qualquer resposta mental, emocional e física acompanhada de prazer, dor, atração ou repulsa. Assim, com frequência, seus sentimentos atraem você para alguma coisa ou afastam-no. 
 Os sentimentos são frequentemente a primeira linha de defesa do nosso coração, estão sempre em nosso interior para afastar ataques de qualquer coisa que possa feri-lo. 
  Os sentimentos são uma força poderosa na vida de cada ser humano, e até a falta de emoção é uma força que pode afetar todas as ações e reações do homem em relação ao mundo que o cerca. 
O que você sente vem do que você acredita. Para o cristão, o que ele sente, em última análise, tem sua raiz no que ele acredita sobre Deus e Sua Palavra, assim como sobre o papel que a palavra de Deus tem na vida dele. Logo, em cada situação, o cristão deve analisar suas reações e emoções à luz da palavra de Deus. Quando faz isso, descobre se pode ou não confiar em seus sentimentos sobre determinado assunto. Seus sentimentos devem ser fundamentos na fé; só assim eles podem ser vivenciados em sua plenitude, sem pecado❞. Porque, como imaginou na sua alma, assim é. (Pv 23.2a)

Subtítulo:  Acreditar que o amor é só um sentimento.


  Nesse 1° capítulo o autor fala sobre um dos maiores equívocos que levam as pessoas a naufragar na vida emocional: acreditar que o amor é só um sentimento.
  No início de um relacionamento, é fácil outras coisas que não são amor parecerem com o amor. Muitos solteiros se entregam a "cupidice" porque são muito envolvidos com as emoções do amor que acabam negligenciando a verdade sobre ele e consequentemente ignorando os sinais de perigo, a preocupação dos amigos, família e do seu próprio objeto de "amor"...
  Em relacionamentos - especialmente no começo é fácil interpretar as incríveis emoções que o outro produz em nós como a certeza de que o amor está no ar, e muitas das vezes tudo isso pode ser apenas a emoção da nossa própria busca.
 O amor não é um sentimento, mas algo prático. Em que tal afirmação se baseia? No maior mandamento de Deus. Em todas as partes das Escrituras, o Senhor nos manda amar: amá-lo sobre todas coisas, amar o próximo como a nós mesmos, amar os inimigos. Se o amor fosse um sentimento, Deus não poderia mandar que o praticássemos. Ninguém pode mandar-nos sentir alguma coisa. As emoções não funcionam assim, não a ligamos e desligamos, cumprindo ordens.
 Já parou pra pensar por que Deus nos deu em primeiro lugar o mandamento de amar? Se o amor fosse algo natural para todos nós, se fosse nossa primeira resposta a todas as pessoas, em todas as situações, Deus não teria feito dele o foco de Suas instruções aos cristãos ( 1Co 16:14).
  Quando o amor é baseado em um sentimento, agimos tolamente para tentar conseguir mais amor. Mas quando o amor está baseado em princípios, crenças, escolhas e ações, na verdade temos sentimentos incríveis após nos doarmos de modo pleno, conforme o tipo de amor sacrificial que Jesus nos ensinou com Sua vida.  O capítulo 1 vers 13 do livro de corintios descreve muito bem as características do amor, ele não é baseado no que os outros fazem ou deixam de fazer. O amor é sobretudo uma ação, não um sentimento. Não depende do que você sente; e sim do que você faz em resposta delas. O amor não tem de fazer você se sentir bem para existir. Considere Cristo na Cruz, esse perfeito ato de amor não suscitou nele aquele sentimento incrível que associamos ao amor.  Na vida de Jesus, o amor doeu. No amor verdadeiro, não existe a pergunta "e eu?" , mas sim: e a outra pessoa?

Quando se aprende a amar de acordo com o conceito estabelecido por Deus, você aprende a amar de modo sábio e completo, e isso é fantástico. 

"Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros. (Fp 2.4)

UM COMENTÁRIO ❤

  1. Oooi, Sarah!
    Nossa, que massa esse livro \o/ Vou tirar foto para depois pesquisar mais sobre ele. Uma coisa me me marcou na sua opinião, fora: "Mas quando o amor está baseado em princípios, crenças, escolhas e ações, na verdade temos sentimentos incríveis após nos doarmos de modo pleno, conforme o tipo de amor sacrificial que Jesus nos ensinou com Sua vida."
    Algo que eu entendo sobre o amor, é que ele vive dentro de nós. Sabemos que Deus é amor, logo Ele VIVE dentro de nós, certo?! Então, o amor não é só um mero sentimento!
    Algo também que me marcou na leitura, fora que você disse algo muito belo e um fato: O amor é sobretudo uma ação, não um sentimento.
    Realmente, o amor é ação. O amor não é só falar o "eu te amo", mas sim demonstrar em cada ação o amor. Viver em amor é assim, é mostrar que Ele vive dentro de nós e que somos capazes de amar até um desconhecido. Escolher amar é a melhor coisa na vida!
    Beeijos e fica na paz!
    Eu estou amando o blog e as postagens, viu?

    {http://www.thoughtsandadventures.com.br/}

    ResponderExcluir